2006/05/30

Peninha

A Ermida da Peninha foi construída no Sec. XII , reconstruída no Sec. XVII , então e esta placa em que Século será recuperada?





Quem vem de Cascais para Colares depara-se, junto ao cruzamento para a Azóia / Cabo da Roca, com esta placa, que outrora terá sido lindíssima mas que hoje se encontra num estado deplorável, como podem ver na foto.
Segundo informações que obtive a JFC já, por diversas vezes, terá solicitado à CMS a recuperação desta placa, sem nunca ter obtido resposta.
Será mais uma peça do nosso rico património a desaparecer por falta de cuidado?
Estejamos atentos!

Susana

4 comentários:

ps disse...

era bom que a junta freguesia colares preserva-se esta placa há entrada da estrada que dá para o cabo da roca estas peças antigas não se devem perder,como tenho reparado que a jfc está a recuperar algumas coisas antigas que estavam ao abondono ficava bem reparar esta peça.
p.s.

Anónimo disse...

Como não tenho reparado, gostava de saber quais "algumas coisas antigas que estavam ao abandono" e que a junta tem estado recuperar...
Será pintar, à custa da junta, um muro particular onde se encontra um chafariz/bomba de água, no mucifal ?
Luisa Canelas

ps disse...

talvez ande distraida ou só tenha interesse em criticar pela negativa mas posso dizer que se visitar a ULGUEIRA está uma fonte que foi recuperada,se for ATALAIA a fonte mais parque,COLARES,PÉ DA SERRA,ALMOÇAGEME,PRAIA DAS MAÇÃS,SELÃO,MUCIFAL,ST.ANDRÉ,VINAGRE, ETC. ETC. ETC.
obs:essa de pintar um muro particular ou está a falar de má fé,ou a tocar de ouvido e contaram-lhe mal a história

Anónimo disse...

Eu, como não ando distraída, realmente tenho observado um esforço da Junta em embelezar fontes, chafarizes e outros, acção que deve ser aplaudida e que, com muito ou pouco esforço (isso não está em causa) dá outra cara a estes pequenos monumentos.
Mas parece-me que a autora desta notícia se queria referir que, não sendo esta placa uma mera indicação do local, mas sim um pedaço de história, deve ser recuperada por mãos que tenham mais do que só boas intenções. Porque não a tão falada escola de recuperação do património da CMS?
Isabel Roma