2012/04/28

Memórias da Nossa Terra

Em 29 de Abril de 1951 o nº. 901 do Jornal de Sintra publicava o seguinte sobre a nossa Freguesia.


Colares

"Marechal Carmona
Foi muito sentido em Colares o falecimento do bondoso chefe de estado, Sr. Marechal Carmona, aqui bem estimado pela sua comparência a algumas festas oficiais.
O nosso povo tinha a maior consideração pelo grande português, que todo o país viu desaparecer com mágoa e por isso no dia do seu funeral deslocaram-se a Lisboa elementos dos Bombeiros, Banda, Legião Escuteiros, União Colarense e particulares, que se uniram assim às demonstrações de pesar de toda a Nação".

Uma das visitas a Colares do Marechal Carmona, quando da inauguração da nova
Banda dos B.V.de Colares

2012/04/25

1º. Festival de Sopas dos B.V.Colares

 
A 1ª. Edição do Festival das Sopas, dos Bombeiros Voluntários de Colares saldou-se por um grande êxito. Foram cerca de três dezenas de sopas que participaram nesta iniciativa, desde a sopa de peixe até á sopa da pedra, por ali passaram as mais variadas e deliciosas sopas.
“Superámos todas as expectativas”, destacou Pedro Louro, adjunto dos B.V. Colares e deixando no ar para que a excelente iniciativa não fique por aqui. Para abrilhantar este excelente evento, ainda participaram o Coro da Associação de Reformados do Mucifal e a Escola de Música da União Mucifalense.

video
Clique em baixo para ver e uvir com mais qualidade 

2012/04/24

Desporto do Fim de Semana


ANDEBOL
Juvenis
CD Paço Arcos 37 – A.B.V. Almoçageme 44

FUTEBOL
Seniores
Domingos Sávio 4 - União Mucifalense 0
Juniores
União Mucifalense 1 – Unidos 1
Juvenis
União Mucifalense 1 – Abóboda 3
Iniciados
Agualva 1 - União Mucifalense 1
Infantis A
União Mucifalense 11- Agualva 0
Infantis B
1º. Dezembro 3 - União Mucifalense 3
Benjamins 10
União Mucifalense 11 – Assoc. Torre 1
Benjamins 9
Sintrense 4 - União Mucifalense 0

2012/04/21

Memórias da Nossa Terra


Em 22 de Abril de 1945, 1951 e 1956 os nºs. 579, 900 e 1157 do Jornal de Sintra publicava o seguinte sobre a nossa Freguesia.

Praia das Maçãs 1945
Monumental Restaurante Esplanada Bar, na Praia das maçãs
Pau de Fileira
A firma Menezes & Peral Lda, festejou no domingo, 15 do corrente o «pau de fileira» da grande construção do monumental restaurante, que anda construindo na linda Praia das Maçãs, cujo projeto é do distinto arquiteto Sintrense João Faria da Costa, obra esta que depois de concluída ficará sendo a melhor da Praia das Maçãs e seus arredores.
No local da construção e numa das esplanadas foram colocadas duas enormes mesas, tendo-se servido um lauto almoço aos 180 operários que na mesma trabalham e na mesma sala improvisada mais de 120 convidados e amigos da firma Peral Lda


Mucifal 1945

Realizou-se no passado sábado 14 do corrente, o casamento do apreciado poeta-cavador e cantor da rádio, o nosso amigo José Fernandes Badajoz, com a srª. D. Leonor Barbara Morais, filha do Sr. Alberto Morais e de D. Manuela Morais, já falecida.
Foi o primeiro casamento que se realizou na nova capelinha de Nossa Senhora das Dores, deste lugar, ajudada a construir pela família do noivo e por ele próprio, sendo celebrizante o reveº. Padre António Pereira.
Finda a cerimónia realizou-se em casa dos avós do noivo, nossos bons amigos srs. Inácio Fernandes e sua digna esposa drº. D. Catarina Prego Fernandes, e dos pais de José Fernandes, nosso amigo António Fernandes e esposa srª. D. Maria Rosa Fernandes, em lauto jantar, que durante até madrugada, alguns convidados tendo feito brindes palas venturas e prosperidades do novo e simpático casal
À hora do jantar foram radiodifundidas em disco, as canções da Capelinha e do cavador da autoria do noivo, felicitados os «pombinhos» pelos seus colegas da Rádio Clube Português.


Colares 1951

Visita da Imagem de Nossa Senhora de Fátima
Reina grande regozijo em Colares por motivo da visita da imagem de Nossa Senhora de Fátima à freguesia. A chegada está marcada para as 16 horas de domingo, dia 29, sendo esperada próximo da Azóia, no limite da freguesia, e a partida para São João das Lampas será no dia 6 de Maio a hora ainda não determinada. 
Acompanha a venerada imagem o Sr. Bispo de Priene, e vários sacerdotes estarão nessa altura em Colares, onde pregarão em vários lugares.


Colares 1956

Bombeiros Voluntários de Colares
Realiza-se hoje, na risonha vila de Colares, a cerimónia da bênção e batismo de uma moderna auto-maca , recentemente adquirida , estreia de novos fardamentos pelo corpo ativo, ao ato solene  devendo assistir os Srs. Governador-civil do distrito de Lisboa, presidente da Câmara Municipal de Sintra, etc.. etc..
Foi elaborado um programa de festas, de que também consta uma «soirée» dançante, na Banda dos B.V. de Colares, abrilhantado pela Orquestra Imperial.
À nova viatura, que constitui, de fato um ótimo melhoramento para a presente instituição colareja, será dado o nome de Maria José de Almeida Santos.


      

Memórias da Guera Colonial




LEMBRANÇAS
Faz hoje precisamente 41 anos, que eu, o Maioto, o Sousa, o Morais, o Francês, o Peixoto e mais umas centenas de jovens embarcamos no velhinho «Niassa» rumo a Moçambique. Foram tempos difíceis, que iriam marcar para sempre as nossas vidas.
Chocámos ombro com ombro na Praça, em pleno centro da cidade, na correria de quem deixa mais um dia de trabalho para trás e precisa de respirar o sossego do seu lar.
- João! - Gritei eu.
E aconchegamo-nos num abraço longo a cheirar a saudade. O abraço do João era autêntico, acolhedor, e quem caia em seus braços longos e fortes sentia-se protegido qual barco em porto de abrigo… Passadas as perguntas banais tipo tudo bem contigo? E a família como vai? o João encolheu-se numa lembrança súbita como que há muito guardada dentro de si mas sem a poder repartir. Aparentemente era assim, mas a verdade é que sempre que nos víamos lá voltavam sempre as mesmas lembranças… Inevitavelmente! O rosto das pessoas que passavam por nós era fechado e cheirava a angústia de não saber se o “seu” emprego existiria no dia seguinte.
- Lembras-te aquela noite de Maio ???? – Atira, e estica os olhos a ver minha reação.
Naquela noite de Maio, num recanto pequenino de Moçambique chamado Changara, o João viu-me sozinho na cantina do Chaleta. Anoitecia, no horizonte aquele tom de fogo do por do sol africano. Olhou para mim, foi dentro do balcão e passados segundos sentou-se a meu lado com uma Manica na mão e um copo na outra.
- A noite é uma criança – disse. E naquela noite de Maio de 73 o tempo deixou de contar do mesmo jeito simples e indiferente com que se sumiu o número de cervejas bebidas…
Mas eu conhecia muito bem o meu amigo João. Seu ar era de angústia, ombros caídos, como que carregando um peso tremendo neles, remoído por uma mágoa calada só para si e sem forças para a distribuir. Digo que o vejo cansado ao que ele de imediato responde:
- É Natal, sabes?
Naquele Natal de 1972, precisamente na noite de consoada, o aquartelamento que ele comandava, na zona do Songo, foi atacado pelo turra. Foi um ataque a serio e que durou perto de duas horas. Quando a ajuda chegou, através dos Comandos situados a 30 kms da barragem, já os turras tinham partido deixando para trás vários feridos. Do escuro de repente alguém o chamou: o cabo Silva, seu amigo intima e para cúmulo da sua terra, Mira d´Aire, tinha sido atingido. E nessa noite de Natal o seu amigo Silva morreu em seus braços …
Meu caro João! Volvidos quase 40 anos após este acontecimento o João continua a sofrer o sentimento de culpa como se fosse ele o responsável pela perda do seu amigo. Explico uma vez mais, cem vezes, mil, como sempre faço, que ele fez todos os possíveis, chamou o helicóptero, chamou o medido, fez tudo que podia. Mas mesmo nesta véspera de Natal, apesar de tantos anos corridos, a resposta é a mesma de sempre:
- Mas ele morreu em meus braços…
De repente seu rosto afunda-se numa dor ainda mais triste, e as rugas ainda mais vincadas. Nos olhos baila uma lagrima vidrada. Como envelheceu de repente o meu amigo João! Carinhosamente dou-lhe uma palmada no ombro e murmuro um vigoroso “vá! Força! Já passou!” e abro-me num sorriso encorajador. Ele pigarreia, limpa os olhos com um lenço de papel e esboça um sorriso fraco.
- Desculpa – murmura!
Não resisto a tamanha ternura e, indiferente a quem nos olhasse de soslaio, aperto-o num abraço longo.
A noite caiu de vez. Nos ares música natalícia. Estico o mais que posso a gola do meu sobretudo e fico-me a ve-lo afastar-se. Já vai longe quando se volta para trás e grita por entre o frio e as pessoas:
- Feliz Natal, Fonseca!
Ergueu as mãos num gesto largo a saber a despedida e perdeu-se no meio da multidão. Duas semanas depois, precisamente no dia 3 de Janeiro de 2012, fui ao seu funeral…
Alfredo Maioto 

2012/04/17

Sociedade Recreativa e Musical de Almoçageme


Conforme estava anunciado, realizou-se no passado domingo dia 15 na sede da S.R.M. Almoçageme o tradicional “Concerto da Pascoela”, interpretado pela Banda da SRMA.
Do programa fazia parte:
Saída da Banda à povoação, apresentação da Escola de Música,-iniciados, apresentação da Escola de Música – avançados, Concerto pela banda e tomada de posse dos novos órgãos socias eleitos para o mandado 2012/2014.

Composição dos órgãos Sociais

Assembleia Geral
Presidente – José Alberto Valério Dinis
Vice-presidente – João Rodrigo Nunes Corvo
1º. Secretário – Pedro Miguel França Jorge
2º. Secretário – Mário Filipe Dias Simões

Conselho Fiscal
Presidente – José Francisco de Almeida Ferreira
Secretário – Rui Manuel Louçada Albano
Relator – Humberto Jorge Ribeiro

Direção
Presidente – Marcelino da Cruz Jorge
Vice-presidente Cultural – João Manuel Dinis Ferreira
Vice-presidente Administrativo – Fernando MANUEL Ferreira Alves
Tesoureira – Maria de Lurdes Rilhas Chiolas Afonso
1º. - Secretário – Pedro Miguel Santos Carvalho
2º. – Secretário – Núria Raquel Mamaia Fabricante
Vogal – Eugénio Manuel Duarte Afonso 

Suplentes
1º. - Lina Maria Ferreira Graça
2º. – Isabel Maria Silva França Jorge



2012/04/16

Desporto


Desporto do Fim de Semana

ANDEBOL
Juniores Masc.
A.B.V. Almoçageme 29 – Boa Hora 30
Juvenis Masc.
A.B.V. Almoçageme 26 - CDE Camões 26

FUTEBOL
Seniores
União Mucifalense 4 – Bobadela 1
Juniores
União Mucifalense 0 – Domingos Sávio 0
Juvenis
Agualva 7 - União Mucifalense 0
Iniciados
União Mucifalense 4 – Mem Martins 0
Infantis A
M.T.B.A. 1 - União Mucifalense 5
Infantis B
União Mucifalense 1 – Ericeirense 0
Benjamins 10
União Mucifalense 5 – M.T.B.A. 2
Benjamins 9
Sport Tulias 0 - União Mucifalense 3
Traquinas
Malveira 6 – União Mucifalense 6
Escolinha Mafra 0 – União Mucifalense 6
Petizes
G.B. Mafra 6 – União Mucifalense 2

2012/04/14

Memórias da Nossa Terra

Em 15 de Abril de 1945, o nº. 578 do Jornal de Sintra publicava o seguinte sobre a nossa Freguesia.
Praia das Maçãs
Novo grupo desportivo
Está despertando muito entusiasmo a formação de um grupo desportivo nesta localidade, que se denominará Atlético Clube da Praia.
Muitas entidades têm aqui desenvolvido grande atividade para que tão interessante iniciativo seja levado a bom termo. É de toda a justiça que se destaque de entre pessoas que mais têm concorrido para a formação do novo clube, o Dr. Peral, cuja atividade e entusiasmo, é sem dúvida, para louvar.
Já se compraram equipas completas para onze jogadores e brevemente vão começar as obras para largamente e arrelvamento do campo para prática de futebol, atletismo, etc., que segundo o projeto, vai ser um dos melhores do nosso concelho. Pensam os organizadores do Atlético C. da Praia, dadas as magnificas condições para a prática do desporto favorito – o futebol-com que vai ser dotado o novo campo, que possa até servir para treino de qualquer equipa de Lisboa que procure esta linda região para estagiar.

Primeiro ano
«Os Caravelas», interessante grupo musical, que mercê de meia dúzia de boas vontades, em boa hora se organizou na Praia das Maçãs, festejam no domingo o seu primeiro ano de existência. Para comemorar este dia, lavam a efeito um baile no Restaurante Flor da Praia, que deve farta concorrência.
A Troup-Jazz «Os Incertos», de Colares, desinteressada e amigavelmente, dispôs-se a abrilhantar a modesta festa dos «Caravelas».
«Jornal de Sintra», que tem pelo povo da Praia e pelo seu novel grupo artístico profunda simpatia e amizade, saúda os rapazes dos «Caravelas», a quem deseja muito sinceramente, prosperidade longa vida.

 O novo hotel
Vão muito adiantadas as obras para o novo hotel que a firma Peral, Lda, está construindo no local onde durante muitos anos esteve instalado o afamado e tradicional Tapie.
No próximo domingo, 15, a firma construtora, o «pau de fileira», oferece a todo o operariado e a muitos amigos um almoço, que como se calcula, vai decorrer com bastante animação. «Jornal de Sintra» agradece o convite que lhe foi dirigido.
F.M.
11-4-1945

2012/04/08

Novo "Café do Manel"


A Praia das Maçãs passou a contar com mais um novo/velho espaço, dedicado a café e pastelaria.
O Café do Manel também outrora conhecido como Café do Franklim com cerca de 70 anos, mudou-se para dois números acima.
Este novo estabelecimento é bastante agradável, com bastante espaço e luz natural o que veio beneficiar muito, tanto utentes com proprietário.
O Manel continua a orgulhosamente as expor a sua coleção de chávenas de café, e curiosamente tem exposto o velho alvará ainda em nome do Sr. Franklim, datado de 1945.
O Notícias deseja ao “Manel” sorte na sua continuidade.

2012/04/06

A Páscoa e a nossa Terra



Esta terra ainda vai resistindo a tradições quase únicas no nosso país.
 A apanha do mexilhão na nossa costa por populares na manhã de sexta-feira Santa, perde-se nos tempos. Embora sem o fulgor de outrora, ainda aqui e ali vão aparecendo os que fazem fica pé para que a tradição não morra. Depois de algumas molhas e trambolhões nas rochas para apanhar os cobiçados mexilhões, tudo acaba numa almoçarada familiar.
Pela minha parte mantenho viva a velha tradição. Embora não tenho descido até ao mar para a apanha dos famosos moluscos bivalves, o meu filho Marco Cara D’Anjo encarregou-se de o fazer, por mim e por ele.
Quem não se sentir com coragem de enfrentar o nosso mar, tem sempre alternativa de adquirir mexilhões para o petisco ali por perto.
Também como é hábito aqui vai uma receita. Desta vez um pouco mais a atirar para o Gourmet.
Como nota digo-lhes que esta receita tem mais de 100 anos


Mexilhões à Provençal

Coze-se uma porção de mexilhões e depois de cozidos tira-se-lhe o pincel ou barbas que têm seguro ao corpo; pica-se depois muito bem o mexilhão depois de retirado da casca e leva-se assim picado a uma frigideira com um dente de alho esmagado, alguma pimenta moída, um golpe de azeite bom, sal suficiente; salteiam-se, ou deixam-se ferver por um momento, e em estando o marisco bem saturado deste tempero, tira-se do lume, mistura-se-lhe um pouco de esparregado de espinafres, como abaixo explico, e tempera-se com sumo de limão. O esparregado faz-se de espinafres, com bom azeite um dente de calho e uma pitado de pimenta, coze-se os espinafres com a água do mexilhão e engrossando o esparregado com pequena porção de farinha, que deve ficar bem cozida; tempera-se de sal e faz-se o seguinte: enchem-se as cascas dos mexilhões com o picado dos mesmos e com os espinafres que fizemos; depois de cheias unem-se uma à outra e atam-se com uma linha; em estando esgotado o picado, põe-se no fundo de uma frigideira funda uma camada de mexilhões cheios e picado, em cima destes outra camada esparregado e assim sucessivamente até acabar uma e outra coisa, contando que a ultima camada seja esparregado; põem-se então em cima deste pão e queijo parmesão ralado salpica-se com azeite e vai ao forno forte; em estando coradinho por cima tira-se e serve-se.  
Para acompanhar um branco “Chão D’Areia” da Adega Regional de Colares. 
Nota
Muitas destas receitas foram elaboradas no princípio do século passado e como tal o português empregue nessa altura, era um pouco diferente daquele hoje utilizamos. Elas foram-me passadas assim, pela minha avó Margarida de Portalegre e em sua homenagem procuro não adulterar a sua real origem.


2012/04/05

Feliz Páscoa

O Notícias deseja a todos os nossos visitantes uma
Santa e Feliz Páscoa


 

2012/04/02

Desporto


Desporto do Fim de Semana

FUTEBOL
Seniores
Santo António Lisboa 4 - União Mucifalense 1
Juniores
Olivais Sul 2 - União Mucifalense 1
Juvenis
União Mucifalense 1 – Fontainhas 5
Iniciados
Belas 1 - União Mucifalense 1  
Infantis A
União Mucifalense 4 – Montelavarense 1
Infantis B
Mem Martins 4 - União Mucifalense 3
Benjamins 10
Montelavarense 3 - União Mucifalense 4
Benjamins 9
União Mucifalense 1 – 1º Dezembro 3
Futsal Feminino
União Mucifalense 4 – Arneiros 3