2006/07/31

MÃE-PÁTRIA

Para que da nossa memória, não se apague aquilo que foi o sofrimente de uma geração
MÃE-PATRIA

UM DIA A MÃE-PÁTRIA DISSE:
- FILHO, PRECISO DE TUA VIDA!
E NADA MAIS DISSE! TAMBÉM NÃO ERA PRECISO:
PERCEBI TUDO! SEM O MINIMO LAIVO DE SORRISO
DUMA FORMA TÃO DESPIDA,
AFIRMAVA QUE EU TERIA DE OBEDECER
COMO UM FILHO LEGÍTIMO, SEM CONTESTAÇÃO,
SERVI-LA MESMO CONTRA MEU QUERER,
OBEDECER MESMO CONTRA TODA A RAZÃO!
E A MAE-PÁTRIA NADA MAIS DISSE...
E ASSIM, SEM QUE EU O PERMITISSE,
PEGOU EM MINHA SINA
E DESPEJOU-ME NO PORÃO DE UM BARCO NAUSEABUNDO
COM RESQUICIOS DE ESCRAVATURA,
ONDE O SOL NÃO ENTRAVA NEM A LIMPEZA
NOS ARES UM CHEIRO IMUNDO
A URINA.
DEPOIS PONTAPEOU-ME LA PRO FUNDO
FEITO CAVALGADURA,
DE CASTIGO, ESQUECIDO,
ESFOMEADO,
ENJOADO,
CORDEIRO SEM DIREITO SEQUER A UM GEMIDO,
SUGANDO ATE AO TUTANO MINHA FORTALEZA!
DEPOIS MOÇAMBIQUE, TERRA DE MACUAS E MACONDES,
TERRA ONDE A EMBOSCADA SE ESCONDE
POR ENTRE O MEDO E O CAPIM
NUM CORROPIO SEM FIM.
E QUANDO VOLTEI NÃO ERA O MESMO. VOLTEI
CANSADO, CORPO ROTO, A MENTE ENRUGADA
DE DORES QUE SÓ EU SEI...
E DEI POR MIM
A VER, APAVORADO, QUE MEUS SONHOS
TINHAM O GOSTO DE PESADELOS,
QUE MINHAS MANHÃS ERAM ENREGELADAS
E AS LEMBRANÇAS FUSTIGADAS
POR SORDIDOS FLAGELOS...
O MÉDICO DISSE ENTÃO: É ESGOTAMENTO!
E MINHA CABEÇA RODOPIAVA, PERDIDA,
CAIS SEM CHEGADA NEM PARTIDA,
SEM ATINAR COM OS SONHOS QUE DESCAMBARAM...
E EM PÁNICO DESCOBRI QUE MINHA ALMA,
OUTRORA AVE FERTIL EM CICIOS E EM CALMA,
NÃO SABIA CURAR SEUS PRÓPRIOS FERIMENTOS...
E MEDOS FANTASMAS TOMARAM
CONTA DE MIM.
FUI TER COM A PÁTRIA A PEDIR AJUDA.
ENTÃO ELA, A MINHA MAE-PÁTRIA QUE UM DIA
ME EXIGIU A VIDA, OLHOU PARA MIM SEM ME VER,
BOCEJOU, ESPREGUIÇOU-SE, E POR FIM,
NUMA VOZ IMPERCEPTIVEL E SISUDA,
CANSOU-SE SÓ EM DIZER:
- QUEM ÉS?
PRESSUROSO LOGO DISSE MEU NUMERO MECANOGRÁFICO,
EXIBI ORGULHOSO A CADERNETA MILITAR,
FALEI DE MEU DESALINHO,
DISSE-LHE QUE PRECISAVA TER DE VOLTA A MINHA FÉ,
O MEU CAMINHO,
A MINHA FORÇA, O MEU TEMPO DE VOAR...
E A CUSTO, À SUCAPA, SEM NUNCA ME OLHAR
NOS OLHOS, A PÁTRIA DISSE ANDAR OCUPADA
COM A REVOLUÇAO,
QUE LAMENTAVA MUITO MAS NÃO PODIA FAZER NADA,
NEM SEQUER CUIDAR DE MEU PÃO..
E, DE TÃO CANSADA, ASMÁTICA, LOGO LHE FALTOU O AR...
EM 33 ANOS NUNCA FALOU COMIGO,
NUNCA TEVE TEMPO PARA UMA CONVERSA
BREVE QUE FOSSE, DE MÃE
PARA FILHO,
NUNCA TEVE UM GESTO AMIGO...
MAGNÍFICA NA INDIFERENÇA,
SUBLIME NA AUSÊNCIA...
MAS EU PEDIA TÃO POUCO!
PORQUE O QUE EU, POBRE EMPECILHO
MAS NÃO LOUCO,
QUERIA MESMO, ERA DESCANSAR EM SEU REGAÇO,
SENTIR SUAS MAOS ACARICIAREM MINHAS DORES
PARA, ASSIM, AMANSAR MEUS CANSAÇOS,
E DEPOIS DORMIR, DORMIR NA VENTURA
DE SABER QUE ELA AINDA SE LEMBRAVA DE MIM.
E EU FICARIA FELIZ NA EMOÇÃO DE VER, ENFIM,
NO SEU ROSTO ALGUMA TERNURA...
SO QUERIA, AFINAL, QUE ELA FOSSE CAPAZ
DE ME DIZER:
- FILHO, ESTOU ORGULHOSA DE TI!
E DUMA VEZ POR TODAS EU FICARIA EM PAZ!
NÃO QUERO ESMOLAS, NÃO QUERO FAVORES,
SO QUERO A GRATIDÃO E O RESPEITO!
QUERIA ERA APAGAR DO PEITO
ESTA MAGÔA DE SABER QUE FUI ESQUECIDO
COMO QUADRO BOLORENTO E APODRECIDO
NA PRATELEIRA DUMA CASA DE PENHORES
QUALQUER,
TAL QUAL UM LIVRO QUE SE DEITA
FORA
PELA SIMPLES RAZÃO DE JÁ TER SIDO LIDO,
OU QUAL AMOR QUE SE REJEITA,
OU QUAL PALÁCIO ONDE NINGUEM MORA...
MAS QUE PÁTRIA É ESTA, AFINAL?
QUE MAE É ESTA QUE TÃO MAL TRATA
SEUS FILHOS, PORTANDO-SE DE FORMA TAO INGRATA,
COMO SE O FILHO FOSSE GERADO NALGUM BACANAL
E QUE DEPOIS NÃO O QUER RECONHECER?
QUE PENA QUE MINHA PÁTRIA NÃO SAIBA MEU NOME
SEMPRE TÃO OCUPADA COM A REVOLUÇAO
QUE A CONSOME
QUE NEM TEMPO TEM PARA VER QUE O MEU PÃO
NA BOLSA DE ALGUEM HÁ MUITO SE SUMIU...
CANSEI! NÃO QUERO TER UMA MÃE ASSIM, INGRATA E INFAME! !
QUE LIXE TUDO! ENTAO QUE SE DANE
A MAE-PÁTRIA QUE ME PARIU!
a.maio

8 comentários:

Anónimo disse...

S.Cara D'Anjo, esta está um pouco forte!...
Pelo que sei, o Senhor ainda muito jovem esteve envolvido neste pesadelo. O mesmo aconteceu a Muitos e muitos Colarenses.Será que terá sido a Pátria que os esqueceu? ou foi os interesses e conveniências de alguns politicos? ditos democratas.
M.B.

Anónimo disse...

Não é forte não M.B., foi muito pior daquilo que é descrito, eu infelizmente tambem fiz parte daquele pesadelo. Pena é que muitos daqueles que por isso passaram, não tenham acesso a estes novos meios de comunicação.
Algums porque a idade já não lhes desperta estas emoções, outros porque se enganam a eles próprios fingindo que esqueceram e ainda há aqueles que o trauma foi tão grande que perderam a razão. Como Diz e muito Bem a.maio, foi neste lamentável estado que ma nossa querida Mãe-Pátria nos deixou, Bem Haja pelo abandono.
Jose Lacerda

Anónimo disse...

Olha, Olha, se calhar queriam viajar em 1ª classe. Vocês eram todos carne para canhão.
Vocês só serviam para que as altas patentes vivessem "À LA GARDER" assim como os politicos, e essa canalha toda. Muitos ainda por aí andam, apregoando aos sete ventos que são democratas e que sempre foram contra o colonialismo. Uma treta viraram foi a casaca, para não perderem o Taxão.Foi a Maior vergonha da nossa História...
Joca

Anónimo disse...

Pois é srº joca, é uma pena que fale assim pois possivelmente nem á tropa foi, os militares foram defender uma coisa que nem nossa era, o 25 de Abril está velho, e aos dias que hoje correm talvez fosse melhor vender portugal aos espanhois e pagar a divida externa do país.
Ferreira

Anónimo disse...

"OBEDECER MESMO CONTRA TODA A RAZÃO!"

A escolha deste "poema" é de uma infelicidade extrema, é de uma traição que mete nojo e passo a explicar porquê: a defesa do Ultramar não foi contra toda a razão e um ex-combatente que subscreva essa ideia não passa de um traidor que não sabe o que é defender o próximo. O NOBRE ESFORÇO dos nossos ex-combatentes teve a razão de ir defender populações portuguesas, brancas e negras, que portuguesas queriam continuar, face a bandos de terroristas armados pelos EUA e pela URSS para substituirem a administração portuguesa por um governo-fantoche. No tempo em que Angola, Moçambique, etc eram províncias portuguesas, cidades como Luanda e Lourenço Marques estavam mais desenvolvidas do que Lisboa, brancos e negros iam à escola juntos (quando nos EUA ainda havia discriminação tipo apartheid), Portugal construiu lá barragens, hospitais, infra-estruturas... que hoje estão todas partidas, pois desde o momento que de lá saímos por traição dos Srs. Soares, Almeida Santos, etc (que "estranhamente" hoje estão ricos que se fartam), nunca mais ninguém lá investiu e, agora sim, é tudo a sacar. Sr. Cara d'Anjo, se não tem orgulho em ter ido combater para defender os seus conterrâneos brancos e negros então não é digno de receber subsidiozinhos ou um obrigado sequer. Não passa de um traidor que preferia ter ficado na Metrópole a olhar para o seu umbigo em vez de ir prestar serviço à comunidade. Quase apetece citar a Bíblia, embora com uma ligeira adaptação: "Acautelai-vos com os Caras de Anjo, que por dentro da máscara têm caras de diabos vermelhos vorazes". Estais mal? Agradecei ao sr.(?) Mário Soares e à pandilha democrápula, a Pátria, essa, não tem culpa.
Paulo Rodrigues

Anónimo disse...

"OBEDECER MESMO CONTRA TODA A RAZÃO!"

A escolha deste "poema" é de uma infelicidade extrema, é de uma traição que mete nojo e passo a explicar porquê: a defesa do Ultramar não foi contra toda a razão e um ex-combatente que subscreva essa ideia não passa de um traidor que não sabe o que é defender o próximo. O NOBRE ESFORÇO dos nossos ex-combatentes teve a razão de ir defender populações portuguesas, brancas e negras, que portuguesas queriam continuar, face a bandos de terroristas armados pelos EUA e pela URSS para substituirem a administração portuguesa por um governo-fantoche. No tempo em que Angola, Moçambique, etc eram províncias portuguesas, cidades como Luanda e Lourenço Marques estavam mais desenvolvidas do que Lisboa, brancos e negros iam à escola juntos (quando nos EUA ainda havia discriminação tipo apartheid), Portugal construiu lá barragens, hospitais, infra-estruturas... que hoje estão todas partidas, pois desde o momento que de lá saímos por traição dos Srs. Soares, Almeida Santos, etc (que "estranhamente" hoje estão ricos que se fartam), nunca mais ninguém lá investiu e, agora sim, é tudo a sacar. Sr. Cara d'Anjo, se não tem orgulho em ter ido combater para defender os seus conterrâneos brancos e negros então não é digno de receber subsidiozinhos ou um obrigado sequer. Quem acha que foi para o Ultramar "sem razão" não passa de um traidorzeco egoista que preferia ter ficado na Metrópole a olhar para o seu umbigo em vez de ir prestar serviço à comunidade. É uma pessoa sem Honra. Estais mal, srs. Cara d'Anjo e afins? Agradecei ao sr.(?) Mário Soares e à pandilha democrápula. A Pátria, essa, não tem culpa e a História um dia há de se orgulhar daqueles de vós que serviram e defenderam Portugal e os vossos irmãos portugueses e não se arrependeram disso. Os que se arrependeram pouco mais merecem do que o desprezo a que qualquer criatura egoista e infra-humana merece ser votada.
Paulo Rodrigues

Anónimo disse...

Estais mal? Pois claro que está, além de não receber o tal "subsidiozinho" tem que ter orgulho de quê? Nem preciso perguntar-lhe se foi para o ultramar ou não. A resposta é clara, porque se tivesse ido não tinha as opiniões fascistas que aqui revela. O sr.Paulo deve ser daqueles que vê comunistas no prato da sopa, mas defende muito bem a pátria, mas no papel, não é?

manu disse...

levantai a cabeça ao céu e dai graças a Deus, por estareis com vida.pois muitos desgraçdos por la deixaram a pele. alguns do penedo.