2008/01/22

Museu do Vinho e da Vinha

Com a presença do vereador da cultura senhor Luís Patrício e outras individualidades, foi reaberto na Adega Viúva Gomes em Almoçageme no passado Sábado, o Museu da Vinha e do Vinho.
Uma exposição simples, mas que demonstra como se plantava a vinha e se fazia o vinho na nossa terra.
Almoçageme está de parabéns por este evento, pois esta terra e as suas gentes sempre estiveram ligados ao vinho de Colares.

8 comentários:

Nuno Saraiva disse...

Mais tarde houve uma homenagem a José Fernandes - poeta cavador, actuação da Orquestra, prova de vinhos e dum doce muito especial...



... sem açucar...

Anónimo disse...

Minha Nossa Senhora, mas esta gente não aprende mesmo nada com os erros que comete.
Volto novamente a ter que me manifestar como Colarense que sou e como o fiz há quase um ano..
Sinto novamente vergonha daquilo que vi, um patético pseudo Museu do vinho de Colares. A quem organizou e fez a recolha daquelas migalhas, tenham vergonha na cara e não queiram enfiar Lisboa pelos olhos adentro do pobre saloio. Nas Azenhas do Mar foi a mesma desgraça, mas depois numa 2ª. Fase lá conseguiram compor as coisas um pouco mais, com a ajuda segundo sei de algumas pessoas que colaboraram.
Como é possível as pessoas de Almoçageme embarcarem numa fantochada daquelas. A Viúva Gomes já deve ter dado uma volta na tumba com tal desprestigio ao seu rico vinho de Colares e na sua própria adega. Faz-me uma confusão tremenda como é que uma pessoa como o senhor vereador Luís Patrício que eu considero de bom gosto e sabedor daquilo que faz, foi também na onda, possivelmente pensou que ia ver um museu e deparou aquela penúria... Cá para mim foi enganado.
Meus Senhores, volto novamente a dizer: deixem o vinho de Colares em paz, ele precisa sim quem o dignifique, e não quem o trate mal.
O Vinho de Colares e os Colarenses não mereciam tal afronta merecia mais... Pelo que pude constatar creio que mais uma vez a Adega Regional ficou-se nas encolhas.
Carlos Mendes

Anónimo disse...

Esperem lá!...Aquilo era uma reabertura de um Museu ou uma prova de vinhos???!!!
Se era uma prova de vinhos foi simplesmente espectacular, 5*****,
se era sera um museu então só pode ser piada, deixem-me rir...
José Dias

Anónimo disse...

Museu de QUÊ!!!!!!!!!!!!!???????
Supostamente para ser Museu tem que ter algo que se veja.
Vão mas é brincar para outro lado e deixem-nos em paz...
Jão M.Silva

Anónimo disse...

Já agora desculpem a minha ignorância...
Com tudo isto quem fica a ganhar?
O Vinho de Colares não é...
Os Colarenses tabem não...
Colares como terra muito nenos ...
Almoçageme idem...
Eu então zerinho...
Então para esta Quê esta fantochada?
João F. Silva (Almoçageme)

Ana Gomes disse...

Julgo que já todos nos apercebemos que este pseudo-museu não passará de uma exposição itinerante (e pobre). Quem ganha, não sei? Imagino!
Por certo será um qualquer projecto integrado num qualquer subsídio ou apoio a fundo perdido, e quanto menos dinheiro se gastar... mais fica.

Anónimo disse...

Antes houvesse subsídios ou apoios a fundo perdido e o museu não seria aquilo que está à vista. Este pseudo museu, que eu pessoalmente espero que venha a ser um GRANDE MUSEU de que todos nos possamos orgulhar, neste momento é probre fica aquém daquilo que Colares e os Colarenses mereçem, mas é fruto da vontade que se viu nascer nos mais novos através dos trabalhos desenvolvidos nas escolas, ao constatar-se que nas casas de quase todos os avós existiam objectos, histórias ligadas ao vinho. Mas não há dinheiro, nem vontade política de avançar com o Museu. É pena. Resta a boa vontade das pessoas em tentar que não morra uma tradição que liga toda uma geração. Não fiquem ofendidos, com o pobre museu, façam algo para que ele seja uma realidade da qual nos possamos todos orgulhar.

Ana Gomes disse...

"fruto da vontade que se viu nascer nos mais novos através dos trabalhos desenvolvidos nas escolas"?? Foi pedido pelas professoras para as crianças fazerem desenhos alusivos ao vinho.
E a tradição, nós (colarenses) também não queremos que morra, o que queriamos é que se fizesse algo dignificante, porque Museu é uma mostra importante e extensa, colocada numa casa/sala, fixa e com o melhor que há sobre o assunto. Não é o caso deste.
E quando falo em apoios a fundo perdido é porque sei que, pelo menos da outra vez havia dinheiro com fartura. Pelo menos deu para alguns irem passear a França por conta do Zé povinho.
Se não há dinheiro agora...