2008/07/30

Concerto na Igreja da Ulgueira

Os Amigos da Igreja da Ulgueira, promoveram no passado Sábado um concerto com o intuito de angariar fundos para a recuperação da Igreja da Ulgueira.
A Igreja da Ulgueira estava repleta de gente que se deliciou com a soprano Teodora Gheorghiu, a pianista Joana Barata e o excelente Guitarrista Bruno Ribeiro (guitarra clássica).


8 comentários:

Anónimo disse...

QUE VERGONHA DE PAÍS ESTE, EM QUE É NECESSÁRIO A SOCIEDADE CIVIL UNIR-SE PARA RECUPERAR O PATRIMÓNIO QUE É DA IGREJA, PARA MAIS UM MONUMENTO CLASSIFICADO.
COM TANTO DINHEIRO, OS COFRES DA IGREJA NÃO COMPORTAM O DINHEIRO DAS OBRAS ? AQUI HÁ UNS QUANTOS ANOS FOI A CÂMARA DE SINTRA QUE LÁ ENTERROU DINHEIRO A RECUPERÁ-LA, SEM QUE TIVESSE SIDO O TRABALHO CONCLUÍDO...
Colarense pensador

Anónimo disse...

A Igreja não tem dinheiro, é pobrezinha, o dinheiro não dá para tudo, primeiro está o Papa com as suas vestes cobertas de ouro e as viagens pelo mundo a pedir a perdão dos padres que coitadinhos viveram muitos anos fechados uns com os outros e agora molestam sexualmente as crianças que conseguem apanhar.
A Igreja é das instituições mais ricas do mundo e tem a falta de vergonha de vir pedir que ajudemos os pobres e alimentemos os que têm fome.
Veja-se em Colares o quanto se tem de pagar para que os nossos filhos frequentem uma coisa tão básica como é a pré-primária, um roubo, numa instituição que se diz pertencer á Igreja.
Sou baptizado, criado pela educação católica, mas ver o mundo cheio de fome e miséria e ver o Papa coberto de ouro, lá diz o povo, "não lembra ao Diabo".
A Igreja Católica está desacreditada.
Já um pensador iluminado disse certo dia "A religião é o ópio do povo" e diz o povo "A fé move montanhas", pena que na hora de proporcionar melhor ambiente aos seus seguidores a Igreja volte as costas e tenha de ser o povo a reparar a casa de Deus.

Anónimo disse...

O comentário do "Colarense pensador" justificará comentário detalhado, que não está, de momento, ao meu alcance.
Contudo, sempre adianto que a Igreja da Ulgueira está de facto classificada, como monumento nacional (julgo) e, consequentemente, qualquer intervenção só poderá ser feita sob a orientação do IPPAR (Instituto Português do Património Arquitetónico), organismo do Ministério da Cultura.
A própria Câmara Municipal de Sintra (CMS), mesmo que quisesse fazer alguma coisa, não pode intervir.
E a Igreja (penso que quer dizer a Paróquia de Colares), muito menos pode intervir.
Isto não quer dizer que susbsista a indiferença destas entidades para com o problema existente.
Contráriamente à sua opinião, penso que não é vergonha nenhuma a sociedade civil intervir desta forma e com esta finalidade; bom seria que, neste, como noutros aspectos e por esse País fora, se multiplicassem intervenções desta natureza. Isso sim, seria prova de maturidade da nossa sociedade;
Depreendo que o "Colarense pensador" acha que a "Igreja" (referir-se-á a Paróquia de Colares"?) por ter "tanto dinheiro em cofre" deve suportar as obras. Será que está por dentro da vida da Igreja o suficiente para colocar a questão de forma tal que mais parece uma afirmação?; e sabe mesmo se o "cofre" tem assim tanto dinheiro?;
Fica convidado, caso queira identificar-se (ou contactar-me em particular), a receber alguma informação sobre estes assuntos.
Jaime Corvo

Anónimo disse...

Claro que quando me referia à Igreja, não estava propriamente a referir a Paróquia de Colares, mas sim o Patriarcado. E volto a perguntar, se as obras só podem ser feitas pelo IPAAR, que vão fazer aos fundos conseguidos pela sociedade civil?
Que nos preocupemos, de acordo... Eu já me preocupo há muitos anos, não é de agora, a Igreja da Ulgueira, sempre foi daqueles assuntos que nunca esqueci.
Colarense pensador

Anónimo disse...

Informações da Igreja da Ulgueira


http://www.ippar.pt/pls/dippar/pat_pesq_detalhe?code_pass=70826

Anónimo disse...

pergunto eu,o que tem haver a escola,com as obras do imovel em causa
se calhar acha deviam andar os meninos na escola comar e actividades e pagar uma tuta e meia,o custo de vida(ord. pessoal,prod.alimen.mat.escolares
combustiveis etc),são iguais para todos

colarense activo

Julia disse...

Amigos de Colares,uma das coisas que me faz muita confusão é que sempre que se fala da Paróquia de Colares "O centro Social Paroquial de Colares"quase sempre tem alguma critica por parte dos habitantres da zona.Enquanto isso o C.S.P.C.,é uma IPSS que presta um serviço á comunidade,evidentemente sendo remunerado pelos pais das crianças,mas sempre dentro das suas possibilidades,tendo em conta que as capitações são feitas pelos documentos que os pais apresentam.Claro e se todos fossemos suficientemente honestos secalhar aqueles que não podem mesmo, tivessem outras regalias mas como isto é um dos nossos problemas "Nunca estamos satisfeitos com nada".Também é bom saber que o Centro Paroquial presta vários serviços a comunidade como o Apoio Domiciliário,a distribuição de alimentos ás familias mais carenciadas...etc.,e como todos temos um rosto não vou deixar o meu comentário sem nome....porque isto de ser anónimo....Parabéns á organização do concerto da Igreja da Ulgueira. Maria Júlia Limpo

Anónimo disse...

2008/05/26
Nota dos autores

Caros leitores:
Como é do conhecimento de todos, este blog é da inteira responsabilidade do Vitalino e da Susana. Sempre tentamos ser independentes e isentos, não publicando notícias que não fossem já do conhecimento geral. Não podemos, nem devemos, aproveitar as nossas profissões ou actividades, para divulgar factos que não estejam ao alcance de qualquer pessoa.
Quanto à censura de comentários, infelizmente temos sido obrigados a cortar alguns. Não podemos publicar textos que refiram nomes de pessoas de forma ofensiva ou maldosa. Não estando em causa tratarem-se de verdades ou não, mas sim deste não ser o local para, numa capa de anonimato ou de nome falso, atirar com insultos ou acusações.
Caros senhores, este blog vai continuar a publicar apenas os comentários que se enquadrem nos parâmetros que achamos aceitáveis e que não ofendam de forma directa ninguém.

Será ?