2007/04/14

Sonhos de um amigo de além-mar


Uma luz-iadas...
Estou com saudades do que nunca tive ou que nunca vi, mas estou com saudades.

Saudades da terra que nunca pisei, olhei ou senti seu cheiro, seu orvalho.

Saudade do sotaque que nunca ouvi por inteiro.

Saudade dos montes e montanhas que enchem os olhos quando é primavera.

Saudade de olhar para o horizonte no inverno e ver o céu cinzento que passa dias e dias e ele continua lá cinzento.

Estou com saudade de ligar o rádio e ouvir belas canções como feiticeira nas lindas vozes de Luis Represas e Andrea Bocceli sendo executadas na estação que outrora enchia meus ouvidos de maravilhas como tambem da sua apresentadora Mariana Marques Vidal.

Estou com saudades do que dizemos trem mas que na verdade se diz comboio.

Estou com saudade de sentir saudade da terrinha. Da terrinha que faz parte de meus sonhos, de meus ideais, de minhas alegrias e minhas tristezas, de meus escritos enfáticos que traduzem minhas reais intenções de um dia poder pisar e dizer em alto e bom som: Esta é minha terra.

Texto de Gideone Rosa - Um Brasuka

6 comentários:

gidros disse...

Estou feliz amigo Vitalino. Muito mesmo! Obrigado. Não sou escritor e muito menos poeta apenas escrevo o que vem de dentro ...la do fundo de meus sentimentos e traduzo tudo em palavras sem técnicas e até mesmo com erros ortográficos ... afinal nunca foi bom com nossa língua que merece tantos cuidados ...desculpem o mal jeito. Quero aqui agradecer a todos que de alguma forma contribuíram para esse pequeno texto viesse à tona. Meu amigo Rui Cardoso sua esposa Rita e tb Maria João, minha amiga Teresinha de Vila Nova de Gaia, Meu amigo Rogério Gobbi de Faro, Meu amigo Antonio Manuel de Almada, A você Vitalino que está me dando essa alegria, a Suzana Rodrigues de Cascais, Flor de Maio em São Paulo Brasil, ao RCP-Rádio Clube Português, Mariana Marques Vidal, Suzana da Mata, José Candeias ...enfim a todas essas pessoas de bem e que nunca pude olhar nos olhos e ver se estão chorando ou sorrindo mas pude sentir em meus ouvidos os sons de suas palavras ou mesmo ver em imágens estáticas suas formas o contorno de seus rostos. Obrigado. Obrigado Portugal por fazer parte de meus sonhos.

Anónimo disse...

Meu caro amigo Vitalino, esta é a prova provada que você tinha razão, quando à um tempo atrás num dos seus posts utilizou a palavra Brazuca. Na altura foi acusado por alguns dos seus visitantes de discriminação. Eu entendi que era uma forma carinhosa de se referir aos nossos irmão Brasileiros.
Este nosso amigo veio sossegar algumas mentes mais retrogradas, ao utilizar a mesma palavra (Brazuca) sendo ele um Brasileiro.
Parabéns pois a todos, e ao nosso amigo Brazuca digo-lhe que tem muito bom gosto em amar Portugal, mesmo sem o conhecer.
Belchior

Anónimo disse...

Se o nosso Amigo Brazuka provasse o belo vinhinho de Colares, então é que ficava mesmo apanhado por esta terrinha.

Anónimo disse...

Então o que é que os brasucas têm a ver com o que se passa em colares? Este blogue não é só de colares?

Anónimo disse...

Este blog, por vontade dos que o ergueram, é SOBRE Colares mas ABERTO a quem veha aqui com RESPEITO pelos outros e pela REGIÃO DE COLARES

Ninguem é dono de nada, nem de outrem.


P Domingos

gidros disse...

A intolerancia é a causa de tantos conflitos. Será que não está na hora de refletirmos um pouco mais nos dar a oportunidade da boa convivência entre os povos. Não é preciso se sentar à mesa com os "encarnecedores" mas o respeito é fundamental indpendentemente da raça, credo religião, sexo ... Os ismos é que fazem toda a anarquia do mundo. Pense nisso senhor anônimo.