2006/09/27

Lenda de Colares


No tempo em que o Mouro Zeilão dominava toda a região de Lisboa, bem longe de Portugal passou-se um triste caso que veio afinal dar origem a esta graciosa terra, edificada entre duas colinas.
Diz-nos a lenda que uma formosa Condessa alemã, após ter sofrido o desgosto de ver morto o seu marido e porque receasse para si e para seus três filhos igual sorte, embarcou com a sua família em dois precários navios e abordou às praias desta região.
Subindo rio acima, desembarcou numa das margens e seduzida pela pujante vegetação, pelas belezas naturais e clima temperado, resolveu fixar-se no local e buscar o sossego que tanto necessitava.
Sabendo que aquelas terras pertenciam ao Mouro Zeilão, senhor de Lisboa, a Condessa de Compa pediu-lhe para habitar naquelas terras, tendo o Mouro autorizado, mediante o pagamento de um tributo de cem pesos de ouro ou trezentos de prata.
Não tendo a Condessa de Compa o dinheiro necessário, deu-lhe em penhor três colares de ouro, com a condição de, não sendo resgatados em três anos, estes ficariam pertença do Mouro Zeilão.
Após este acordo, tratou a Condessa de edificar o seu Castelo, ao qual em memória do penhor chamou Colir, tendo-se desenvolvido mais tarde, junto a ele, a povoação a que se chamaria Colares.

3 comentários:

Anónimo disse...

Pergunta de um muito burro:
A senhora subiu o rio de caravela???

fernandomoraisgomes disse...

Bons tempos em que terrenos se compravam com três colares....

fernandomoraisgomes disse...

Bons tempos em que um terreno custava três colares...e não ía o projecto ao Parque Natural!