2006/09/04

Novamente o Largo do Mucifal

Agora que as obras já vão a meio, e o resultado final começa a dar nas vistas, os comerciantes do Mucifal fizeram passar um abaixo-assinado, exigindo medidas que compensem a falta de estacionamento que o projecto do novo Largo provocou.
Através de fontes não oficiais, soubemos que o documento já foi entregue às autoridades competentes e que os comerciantes sugerem a criação de um parque de estacionamento, já que a nova configuração do Largo diminui para menos de metade a capacidade de estacionamento.
Seja qual for a solução encontrada, parece que a circulação rodoviária é realmente o grande problema do Mucifal, facto que não poderá ser ignorado pelas autoridades durante muito mais tempo.

Susana

12 comentários:

Anónimo disse...

Por acaso também assinei e acho uma vergonha aquele largo. O projecto não tem jeito nenhum.
C.F.

Isabel Roma disse...

Pois eu não assinei nem vi nenhum abaixo assinado a circular, mas acho que a ideia de um parque de estacionamento, só será benéfica se esse for mesmo no centro do Mucifal (não sei onde vão encontrar um terreno "barato" no centro para parque), porque se o parque for mais longe as pessoas não vão andar 5 ou 10 minutos para ir às compras.

Anónimo disse...

talvez dentro das lojas já que há uns anos no café PARREIRINHA um vereneante entrou com a bicicleta lá para dentro,acho piada que á noite até é um perigo as pessoas a fazer caminhadas,aí já podem dar a volta há Varzea ou ao pavilhão,mas para as compras é mesmo há porta do estabelecimento
o MUCIFAL E AS OUTRAS ALDEIAS NÃO ESTÃO PREPARADAS PARA ESTES CARROS TODOS+NA RUA DA RIBEIRINHA AS PESSOAS ARRENDAM AS CASAS E DEPOIS OS SENHORIOS NÃO DEIXAM PÔR OS CARROS NOS PÁTIOS COMO POR EXEMPOL PÁTIO JOÃO TOMÁS,a rua do CAVAQUINHO está com carros que não são de pessoas que moram lá mas sim ao lado,para isso tambem deve haver abaixos assinados.
PIROLITO

Anónimo disse...

Não conheço bem o projecto mas na frente da igreja o passeio é enorme, será para quê? Terá alguma utilidade ou será só para gastar pedra de calçada que havia a mais no estaleiro?
Castro

Anónimo disse...

Não conheço o projecto, não assinei nada, não resido no Mucifal mas frequento-o para compras.
Passei lá no Sábado e constatei que o passeio em redor da Igreja é, de facto, muito largo e que quem pretende descer para o lado da drogaria tem um espaço muito apertado para fazer a curva e passar(uma camioneta pequena terá muitas dificuldades em passar ali).
Vou esperar para ver quanto tempo os passeios resistem à passagem dos rodados por cima deles...
MJL

Anónimo disse...

Sr.ou Srª.MJL,pelos vistos não viu o projecto, pois para descer para a drogaria vai ter de passar em frente à Igreja e não nas suas traseiras.

Isabel Roma disse...

Pois, e vai ter 2 sentidos (a parte da frente da capela) e nunca mais se vai conseguir lá parar um autocarro para entrada ou saída de passageiros para excursões (como faziam frequentemente), porque fica um largo tão grande com vias tão estreitas.
Voltamos ao mesmo, se calhar ficava muito bem no papel, lá no escritório em sintra, mas não no local não serve a população nem os hábitos da terra.

Anónimo disse...

Sr.(a) Anónimo(a)
1º) É D. MJL (Maria João Lopes)
2º) Antes de "atirar" com respostas aos comentários dos outros, sugiro que os leia com atenção. Como estava distraído(a),eu repito o princípio do que escrevi: "Não conheço o projecto".
3º) O seu esclarecimento não altera nem invalida a minha observação - seja qual for o sentido que dêem ao trânsito, o facto é que os passeios são altos e os espaços de circulação entre eles demasiado estreitos para determinado tipo de veículos.
4º) Tal como conhece o projecto, calculo que também conheça bem o largo. Deve ter reparado numa casa velha, ao lado da igreja. Se um dia decidirem recuperá-la, acha que camionetas e camiões de maior dimensão têm alguma hipótese de por ali passar ou de parar para descarregar material sem subirem os passeios e os estragarem? A mim, que sou leiga em Engenharia e Projectos, não me parece...

Anónimo disse...

Assim é que se fala (Mª.João), é que há gente neste blog que só lê aquilo que lhes interessa e depois mandam bocas. Concordo plenamente com a sua opinião sobre o largo.
C.F.

Anónimo disse...

Falam, falam, mas não os vejo darem opiniões para uma boa solução. Só Falam dizendo mal, será que aquela "coisa" não terá algo de positivo?
Os Mucifalenses sempre tiveram medo do que é novidade, para eles só serve o que é pequenino.
Z.C.

Susana disse...

Os Mucifalenses não "gostam só do que é pequenino", pois o largo era bastante grande, agora é que fica "pequenino", com aquele passeio enorme em frente à capela, para quê? Vão lá pôr esplanadas? Então e como é que uma carreta funerária se chega à capela para pôr e tirar um caixão? O passeio não tem rebaixamento. Não é o facto de dizer mal ou não, é a constatação de que o projecto não está bem feito em questões práticas, questões do dia a dia da aldeia, que não foram considerados e por isso, mais uma vez, temos um desenho muito bonitinho no papel, mas que traduzido para o local, não serve a população.

Taborda disse...

Susana:
Servir a população até serve.
Não serve é os mortos, que têm de fazer aquele bocado de lancil a pé...