2006/08/05

Os Agueiros

Depois da “quase tragédia” na Praia das Maçãs, e porque muito se tem falado ultimamente, até na TV, sobre os perigos do mar, nomeadamente dos Agueiros, resolvi pesquisar.
Os Agueiros, cuja terminologia técnica é Rip Current, são correntes marítimas localizadas, muito perigosas para os banhistas e que se sucedem com grande força paralelamente à praia – em zonas que afundam abruptamente próximo da rebentação.
Nesta época do ano nunca é demais lembrar que, o mar pode ser um grande refugio, mas é traiçoeiro e por vezes imprevisível.

Por tudo isto, seja prudente, obedeça sempre às instruções dos Nadadores Salvadores.
Boas Férias

Susana

2 comentários:

Ricardo Carvalho disse...

Cara Susana, muito importante esta informação sobre os chamados agueiros. Segundo sei, os agueiros são correntes de retorno, perpendiculares à costa, que se geram devido a geometrias específicas da linha costeira e também da batimetria local. Como ilustra nas figuras, a presença de obras marítimas transversais - esporões ou quebra-mares - também dão lugar aos tais agueiros, pois as massas de água ao encontrarem esses obstáculos tendem a refluir para longe da costa. Uma regra importante é nunca nadar demasiado próximo de esporões, quebra-mares, tomadas de água, etc. Essas correntes de retorno, sendo perpedinculares à costa, tendem puxar o nadador que nelas se coloca para longe da costa. O que parece mais intuitivo neste caso será tentar nadar de volta para terra, tentando vencer a corrente do agueiro, mas isto é desaconselhável pois rapidamente se cansará o nadador e poderá entrar em aflição ou pânico. Segundo explica um texto da Marinha, é fundamental não entrar em pânico, para manter as capacidades de pensar e agir e não desperdiçar energias. No caso de alguém se ver apanhado por um agueiro inesperado, deve nadar calmamente e EM PARALELO à praia/costa, economizando esforços e não se preocupando por estar a ser arrastado para fora, até sair francamente do agueiro e depois dirigir-se a terra, eventualmente aproveitando no regresso o auxilio da rebentação. Os surfistas mais experientes conhecem bem os agueiros e aproveitam-nos para voltar para as ondas. Mas, é claro, estão sobre uma prancha e, por regra, sabem o que estão a fazer. O nadador eventual deve ter a maior prudência em praias com ondas e rebentação forte. Antes de se aventurar em águas revoltas que desconhece, deve pedir informações aos nadadores-salvadores de serviço. E deve sempre respeitar as bandeiras, nunca entrando na água com bandeira vermelha. Porque, como se costuma dizer, "a mar e mar, há ir e voltar"!

Anónimo disse...

Sim senhor, um assunto interessante, completado com um comentário igualmente interessante.
Parabéns
C.F.